SPED Brasil

Rede Virtual de troca de informações sobre o SPED

Olá pessoal,

Gostaria de saber qual o CST devo usar para as notas fiscal 01 na entradas de material de consumo, pois este material tem IPI, mas não deve gerar crédito.

Abraço a tds

Exibições: 7478

Responder esta

Respostas a este tópico

Ola Fernanda,

Na minha opinião com base na tabela CST IPI seria outras entradas.
Bom dia Rebeca,

Nos tentamos fazer esta classificação, só que gera crédito do IPI. E neste caso não poderemos aproveitar este crédito. Neste caso, será que temos que gerar o arquivo desta forma e depois excluir o crédito?

Grata,
Fernanda,


Ele está gerando crédito, provavelmente, o valores do IPI foram escriturados.
O fisco tem enfatizado que várias empresas têm enviado a EFD com uma escrituração incorreta, pois, a ótica é de quem escritura e não de quem emite a nota fiscal.
Isto esta ressaltado no ato cotepe 09/08:

2.2 - REGRAS GERAIS DE PREENCHIMENTO
Esta seção apresenta as regras que devem ser respeitadas em todos os registros gerados, quando não excepcionadas por regra específica referente a um dado registro.
2.2.1 - As informações referentes aos documentos deverão ser prestadas sob o enfoque do informante do arquivo, tanto no que se refere às operações de entradas ou aquisições quanto no que se refere às operações de saída ou prestações.
Exemplos (operação sob o ponto de vista do informante do arquivo):
- Código do item -> registrar com códigos próprios os itens das operações de entradas ou aquisições, bem como das operações de saída ou prestações;
- Código da Situação Tributária - CST -> registrar, nas operações de entradas ou aquisições, os códigos de tributação indicando a modalidade de tributação própria do informante;
- Código Fiscal de Operação e Prestação - CFOP -> registrar, nas operações de entradas ou aquisições, os códigos de operação que correspondam ao tratamento tributário relativo a destinação do item. Os valores informados devem seguir o desdobramento do código, se houver.



abraços
Caro Jorge,

O que eu entendi que a nobre colega Fernanda quis dizer foi que está adquirindo um material de uso/consumo de algum fabricante ou comerciante de material importado, que normalmente é tributado na venda do fornecedor. E ela não tem direito a esse crédito, conforme a Lei Complementar 87/96 e alterações posteriores, que proíbem até 1º/01/2011 salvo engano.

Penso que o CST que ela deve utilizar é o de nº. 4949-"Outras entradas sem crédito/recuperação", porque a ótica é do informante, ou seja, nem sempre tudo o que meu fornecedor vai tributar nas vendas dele eu vou ter direito a esse crédito.

Nesse sentido, concordo com a resposta da colega Rebeca

Sds,
Geraldo Nunes
Geraldo,


Ela está certíssima, apenas enfatizei o tema, pois, o fisco tem reclamado sobremaneira desta escrituração.
Apenas para alinhar estamos falando da tabela de CST IPI, disponibilizada na instalação da do PVA, e não aquela da NF-e. Ei-la:

PVA. VERSÃO 4.3.4

situacaoTributariaIpi

versão=1.0
00|Entrada com recuperação de crédito||
01|Entrada tributada com alíquota zero||
02|Entrada isenta||
03|Entrada não-tributada||
04|Entrada imune||
05|Entrada com suspensão||
49|Outras entradas||
50|Saída tributada||
51|Saída tributada com alíquota zero||
52|Saída isenta||
53|Saída não-tributada||
54|Saída imune||
55|Saída com suspensão||
99|Outras saídas||

Abraços
OK Jorge, mais uma vez obrigado pelas explicações, esse grupo é demais.

Pelo que vc disse que a Receita está reclamando, dá para se ver que faltam muitos profissionais das áreas contábil e fiscal qualificados no mercado.

Grande abraço

jorge campos said:
Geraldo,


Ela está certíssima, apenas enfatizei o tema, pois, o fisco tem reclamado sobremaneira desta escrituração.
Apenas para alinhar estamos falando da tabela de CST IPI, disponibilizada na instalação da do PVA, e não aquela da NF-e. Ei-la:

PVA. VERSÃO 4.3.4

situacaoTributariaIpi

versão=1.0
00|Entrada com recuperação de crédito||
01|Entrada tributada com alíquota zero||
02|Entrada isenta||
03|Entrada não-tributada||
04|Entrada imune||
05|Entrada com suspensão||
49|Outras entradas||
50|Saída tributada||
51|Saída tributada com alíquota zero||
52|Saída isenta||
53|Saída não-tributada||
54|Saída imune||
55|Saída com suspensão||
99|Outras saídas||

Abraços
Fiz o teste no validador, ocorre a seguinte situação:

Colocamos o código outras entradas, mas para que o arquivo seja validado, temos que somar o IPI no item, lá no registro C170, pq senão o valor não fecha com o registro C100.... Desta forma o arquivo foi validado, só não estamos seguros de que o procedimento esta correto, alguém já passou por esta situação ?

Abraços,
Boa Tarde Jorge e pessoal,

Vou aproveitar o gancho do assunto CST IPI para fazer um questionamento, esta claro que esta informação esta vinculada no registro de item do documento fiscal. Agora estou pensando no usuario, no dia a dia, acho trabalhosol alem do proprio risco envolvido deixar o mesmo "preencher" essa informação documento a documento (pior item a item).

Gostaria de saber se alguem ja procedeu alguma forma de "automação" para geração dessa informação (pensando principalmente no quesito notas proprias, pois notas de terceiros talvez seja mais complicado) ?? Por exemplo, a empresa sempre utiliza a CFOP 5101 com venda dando direito a credito de IPI, pensei dessa forma em vincular o CST IPI na CFOP trazendo a informação automatica e assim facilitando ao usuario. Como no sistema em questao existe o conceito de SERIE DA CFOP no caso de uma venda com isencao de ipi (outra CST IPI) pensei no usuario cadastrar uma nova SERIE CFOP (ex: primeira: 5101 - A, segunda: 5101 - B) e nessa segunda CFOP amarrar a nova CST. Sei que mesmo assim existe o risco do usuario informar a CFOP incorreta porem iriamos limitar a margem de erro apenas aquelas situacoes que existem na empresa, porem tenho duvidas se a amaração dessa CST esta apenas vinculada a forma de tributação do ipi ?? Não sei se fui claro no questionamento, mas qualquer opiniao sera bem vinda...

Sem mais,
Carlos A. Moser
Carlos,
boa tarde,
já pensei em algo parecido, mas não conclui o pensamento.
existe também o cst_PIS e CST_COFINS, talvez com a mesma linha de pensamento.

O que acha?
Cleber

Carlos A Moser said:
Boa Tarde Jorge e pessoal,

Vou aproveitar o gancho do assunto CST IPI para fazer um questionamento, esta claro que esta informação esta vinculada no registro de item do documento fiscal. Agora estou pensando no usuario, no dia a dia, acho trabalhosol alem do proprio risco envolvido deixar o mesmo "preencher" essa informação documento a documento (pior item a item).

Gostaria de saber se alguem ja procedeu alguma forma de "automação" para geração dessa informação (pensando principalmente no quesito notas proprias, pois notas de terceiros talvez seja mais complicado) ?? Por exemplo, a empresa sempre utiliza a CFOP 5101 com venda dando direito a credito de IPI, pensei dessa forma em vincular o CST IPI na CFOP trazendo a informação automatica e assim facilitando ao usuario. Como no sistema em questao existe o conceito de SERIE DA CFOP no caso de uma venda com isencao de ipi (outra CST IPI) pensei no usuario cadastrar uma nova SERIE CFOP (ex: primeira: 5101 - A, segunda: 5101 - B) e nessa segunda CFOP amarrar a nova CST. Sei que mesmo assim existe o risco do usuario informar a CFOP incorreta porem iriamos limitar a margem de erro apenas aquelas situacoes que existem na empresa, porem tenho duvidas se a amaração dessa CST esta apenas vinculada a forma de tributação do ipi ?? Não sei se fui claro no questionamento, mas qualquer opiniao sera bem vinda...

Sem mais,
Carlos A. Moser
Carlos,


Acredito que esta é uma boa possibilidade, utilizar registro 0400 TABELA DE NATUREZA DA OPERAÇÃO/PRESTAÇÃO, principalmente, porque ele tem 10 posições. Em alguns ERPs, as empresas estão atrelando ao que é chamado de IVA que é um código para identificar a tributação. Todos estas alternativas são cenários para se evitar o lançamento manual. Lembrando que em muitos casos a informação está no cadastro do fornecedor.

abraços
Pessoal,

aproveitando o assunto do IPI, sei que estao falando da EFD mas estou com problema na IN/86.
quando eu compro uso e consumo e informo os valores de IPI destacados pelo fornecedor nos arquivos 4.3.3 e 4.3.4 o validador dá erro no arquivo dizendo que o campo 17 "indicador de tributação do IPI" nao pode ser "3"(outras), ele só aceita com codigo "1"(recupera credito), mas esta entrada nao me da direito a credito.
gostaria de saber se tem algo errado no SVA ou eu é que estou gerando errado o valor do IPI nas compras de uso e consumo, como ele faz parte do total da Nota fiscal se nao lançar o valor nos itens (4.3.4) o validador acusa erro com a capa da nota fiscal 4.3.3(a somatória dos itens nao corresponde ao total da NF).

poderiam me ajudar a desvendar este cruzamento de informações da IN/86?

obrigado,

fabricio pelissare
No caso de um supermercado que compra sem aproveitar IPI, ou seja, nas Nfs vem até IPI destacado, mas vira custo, por ser produto para revenda....qual CST eu devo usar na entrada e na saída??? Não tributado ou outras entradas?????

Responder à discussão

RSS