SPED Brasil

Rede Virtual de troca de informações sobre o SPED

Bom dia,

 

Alguém consegue utilizar os CST's de empresas do SIMPLES NACIONAL?

Exemplo: Comprei uma mercadoria para revenda de um empresa do SIMPLES. O Manual diz que eu devo utilziar CST's diferenciados, entretanto não consigo visualizar esses CST's.. Alguém pode me ajudar?

Exibições: 28960

Responder esta

Respostas a este tópico

.
Alguém?
Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?

A minha dúvida é o seguinte: o manual  da EFD diz que: Nas operações de aquisição de produtos de

empresas do Simples Nacional, deverá ser indicado somente o constante a nível de item (CSOSN), isto é, a tabela B do Ajuste SINIEF nº 03/2010. Os CST's dessa tabela são:

101 - Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito

- Classificam-se neste código as operações que permitem a indicação da alíquota do ICMS devido no Simples Nacional e o valor do crédito correspondente.

102 - Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito

- Classificam-se neste código as operações que não permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e não estejam abrangidas nas hipóteses dos códigos 103, 203, 300, 400, 500 e 900.

103 - Isenção do ICMS no Simples Nacional para faixa de receita bruta

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contemplados com isenção concedida para faixa de receita bruta nos termos da Lei Complementar nº 123, de 2006.

201 - Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações que permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

202 - Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações que não permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e não estejam abrangidas nas hipóteses dos códigos 103, 203, 300, 400, 500 e 900, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

203 - Isenção do ICMS no Simples Nacional para faixa de receita bruta e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contemplados com isenção para faixa de receita bruta nos termos da Lei Complementar nº 123, de 2006, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

300 - Imune

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contempladas com imunidade do ICMS.

400 - Não tributada pelo Simples Nacional

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional não sujeitas à tributação pelo ICMS dentro do Simples Nacional.

500 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária (substituído) ou por antecipação

- Classificam-se neste código as operações sujeitas exclusivamente ao regime de substituição tributária na condição de substituído tributário ou no caso de antecipações.

900 - Outros

- Classificam-se neste código as demais operações que não se enquadrem nos códigos 101, 102, 103, 201, 202, 203, 300, 400 e 500.

 

Entretanto, ao escriturar uma nota nessas condições, não consigo achar esses CST.. entendeu?

 


José Antunes Coelho disse:
Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?
.

Fernanda Sampaio disse:

A minha dúvida é o seguinte: o manual  da EFD diz que: Nas operações de aquisição de produtos de

empresas do Simples Nacional, deverá ser indicado somente o constante a nível de item (CSOSN), isto é, a tabela B do Ajuste SINIEF nº 03/2010. Os CST's dessa tabela são:

101 - Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito

- Classificam-se neste código as operações que permitem a indicação da alíquota do ICMS devido no Simples Nacional e o valor do crédito correspondente.

102 - Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito

- Classificam-se neste código as operações que não permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e não estejam abrangidas nas hipóteses dos códigos 103, 203, 300, 400, 500 e 900.

103 - Isenção do ICMS no Simples Nacional para faixa de receita bruta

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contemplados com isenção concedida para faixa de receita bruta nos termos da Lei Complementar nº 123, de 2006.

201 - Tributada pelo Simples Nacional com permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações que permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

202 - Tributada pelo Simples Nacional sem permissão de crédito e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações que não permitem a indicação da alíquota do ICMS devido pelo Simples Nacional e do valor do crédito, e não estejam abrangidas nas hipóteses dos códigos 103, 203, 300, 400, 500 e 900, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

203 - Isenção do ICMS no Simples Nacional para faixa de receita bruta e com cobrança do ICMS por substituição tributária

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contemplados com isenção para faixa de receita bruta nos termos da Lei Complementar nº 123, de 2006, e com cobrança do ICMS por substituição tributária.

300 - Imune

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional contempladas com imunidade do ICMS.

400 - Não tributada pelo Simples Nacional

- Classificam-se neste código as operações praticadas por optantes pelo Simples Nacional não sujeitas à tributação pelo ICMS dentro do Simples Nacional.

500 - ICMS cobrado anteriormente por substituição tributária (substituído) ou por antecipação

- Classificam-se neste código as operações sujeitas exclusivamente ao regime de substituição tributária na condição de substituído tributário ou no caso de antecipações.

900 - Outros

- Classificam-se neste código as demais operações que não se enquadrem nos códigos 101, 102, 103, 201, 202, 203, 300, 400 e 500.

 

Entretanto, ao escriturar uma nota nessas condições, não consigo achar esses CST.. entendeu?

 


José Antunes Coelho disse:
Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?

José Antunes,

Vc entendeu a minha dúvida?

José Antunes Coelho disse:

Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?
Alguém poderia me ajudar?

Fernanda Sampaio disse:

José Antunes,

Vc entendeu a minha dúvida?

José Antunes Coelho disse:

Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?
Alguém já tentou lançar notas de entrada nessa situação?? qual o cst utilizado?

Fernanda Sampaio disse:
Alguém poderia me ajudar?

Fernanda Sampaio disse:

José Antunes,

Vc entendeu a minha dúvida?

José Antunes Coelho disse:

Fernanda, não entendi bem a sua pergunta. O que deu a entender é que vc. está utilizando os CST's que constam na NF-e, poré vc.deve utilizar o CST do seu ponto de vista, sob seu enfoque. Você poderia reformular a pergunta com mais detalhes.

Fernanda Sampaio disse:
Alguém?
Voce deve usar os CFOP de entrada. Ex. 2101, 2102, 1102, etc.
O CFOP eu sei que deve ser esses, a minha dúvida é em relação aos CST.. pq no manual diz que eu devo utilizar CST diferentes de 000. Só que quando eu vou escriturar as notas, eu não vejo esses outrs CST's do SIMPLES..

Sérgio Ricardo disse:
Voce deve usar os CFOP de entrada. Ex. 2101, 2102, 1102, etc.
Desculpe pelo engano. Mas até agora não tive esta situação.
Quando vai escriturar esses CST onde?
No validador, no teu software?

E para clarificar, CST e CSOSN são duas coisas diferentes, apesar de que muitas vezes são inseridas nos mesmos campos.

Responder à discussão

RSS